Homem mata esposa com envenenamento

HOMEM QUE ENVENENOU ESPOSA SE PASSOU POR ELA EM MENSAGENS A FAMILIARES E AMIGOS

Marido de Josieli Lopes fingiu ser a mulher após assassiná-la no último dia 15; ele confessou ter colocado veneno na comida da vítima e usado seu celular para evitar suspeitas

27/09/2020 por Redação Rodrigo Castro

Após envenenar sua esposa, Luiz Edivaldo Fernandes da Silva, de 34 anos, respondeu mensagens de familiares e amigos da vítima se passando por ela. Preso por suspeita de homicídio e feminicídio, ele confessou ter colocado uma substância na comida servida a sua mulher durante um jantar. O filho do casal de três meses também morreu ao ser amamentado pouco depois.

A polícia encontrou os corpos de Josieli Lopes, de 36 anos, e seu bebê na madrugada desta quarta (23) no município de Rio dos Cedros, em Santa Catarina. Os cadáveres foram enterrados em uma zona rural logo após o assassinato no último dia 15, desde quando os dois foram dados como desaparecidos.

A família da vítima procurou as autoridades após desconfiar de mensagens enviadas do celular de Josieli, que não teriam sido escritas por ela. Parentes e amigos relataram que foram bloqueados no aplicativo de conversas. O filho mais velho dela, fruto de outro relacionamento, registrou um boletim de ocorrência três dias depois do crime.

A polícia localizou o aparelho no município de Itajaí, onde Luiz Edivaldo estaria hospedado na casa da irmã. Detido, ele confessou que envenenou o molho da carne enquanto preparava um jantar para a mulher na casa em que viviam na cidade de Itapema. O bebê acabou contaminado ao ser amamentado pela mãe.

Familiares e amigos relataram que Josieli foi ameaçada pelo marido, que não aceitava a separação. Dois dias antes do crime, o casal teve uma discussão ríspida, e Luiz Edivaldo deixou a residência. Segundo Clarice de Freitas, irmã da vítima, ela disse após o episódio que estava convicta em se separar e que procuraria um advogado. A decisão teria sido motivada pela descoberta de um relacionamento extraconjugal dele.

"Ela estava decidida a procurar o advogado, disse que queria se separar. Estava toda feliz, disse que ia continuar com o trabalho dela e achar alguém para cuidar do neném. Na terça (dia do crime), a gente conversou quando ela levantou, e ela contou que estava esperando uma amiga para ir à advogada e que iria ao cabeleireiro", contou Clarice.

Luiz Edivaldo encontrou Josieli no salão de beleza. Foi lá que ela tirou a última foto enviada à irmã, com o marido ao seu lado. Depois disso, Clarice não conseguiu mais contato. Os pedidos à noite para que ela mostrasse o novo visual foram em vão. Dali em diante, as mensagens de Josieli, na verdade, passaram a ser enviadas por Luiz Edivaldo.

Mensagens às quais ÉPOCA teve acesso mostram que o marido respondeu que não podia atender e justificou a demora por ter ficado sem internet. Sem notícias da irmã, Clarice começou a espalhar fotos de Josieli pela cidade e fez publicações nas redes sociais. Ao ver as postagens, Luiz Edivaldo entrou em contato.

"Oiê mana. tá tudo bem poxa. porque essas publicações? eu estou muito bem (sic)", escreveu. Clarice retrucou: "Só acredito vendo. Vc me liga". O marido de Josieli então disse que só ligaria daqui a uns dias, justificando que estava triste com ela.

Uma amiga de Josieli também mandou mensagens perguntando se estava tudo bem. Luiz Edivaldo, mais uma vez, respondeu que sim. "Minha irmã que está doida só", escreveu. Na mesma conversa, explicou que estava "dando um tempo" para si e afirmou que estava no Rio Grande do Sul com outra pessoa.

De acordo com Clarice, ela começou a desconfiar pois a irmã sempre falava por áudio ou ligação. Após dois dias sem se falarem, ela resolveu ligar para a polícia. Ao se inteirar do desaparecimento, uma das advogadas procuradas por Josieli entrou em contato com a família.

Em depoimento, Luiz Edivaldo confessou ter se passado pela mulher após o assassinato. A polícia já havia rastreado o aparelho, cuja localização batia com a casa da sua irmã em Itajaí.

"Concluímos que as mensagens foram enviadas por ele, tanto pela confissão como pelo local em que estava batendo o aparelho celular. Elas foram enviadas de Itajaí, mesmo lugar em que estaria morando com a irmã. Depois, ele jogou fora o celular. Só apreendemos o dele, que está passando por perícia", disse o delegado Diogo Medeiros, responsável pelo caso.

 


Fonte: epoca.globo.com

Tags: homem que envenenou esposa se passou por ela em mensagens a familiares e amigos

Galeria de fotos